Skip to content

Alguém que guardo

setembro 10, 2010

Saudades de você. Não são saudades dos seus beijos ou carícias, desses já não lembro. Não são saudades dos seus olhos apertadinhos, desses eu lembro olhando tenros para mim, mas não são deles que sinto saudades. Sinto saudades de você. Da pessoa que você é, do homem ao qual eu admiro. Que dia ou outro aparece por aqui em uma imagem, em uma frase. Vez ou outra seu nome me encontra. E a cada vez descubro coisas novas. E o admiro mais. E sinto mais saudades. E então penso que queria estar perto para compartilhar minha admiração, para dizer que eu gostei do que eu vi e ouvir o que você pensa e o que você sabe. É disso que tenho saudades. Do homem, do amigo. De estar junto de alguém inteligente e conversar bobagens e fazer teorias sobre a vida e pessoas e o futuro. Mas não mais faremos teorias juntos. Então faço minhas próprias teorias e penso que teoricamente é assim que devemos ficar. Longe, distantes de qualquer aproximação. Teoricamente nos perdemos, pois nos desprendemos quando já juntos não estávamos. Mas não acho que o tenha perdido completamente, pois ao mesmo tempo em que perdi o homem e a amizade, eu ganhei alguém para admirar. Alguém que sinto orgulho de um dia ter estado perto. Alguém com quem fiz teorias sobre a vida e pessoas e o futuro. E minha teoria sobre o futuro, ou melhor, “nosso futuro”, é que não teremos mais futuro. Você continuará onde está e eu, de longe, sempre te observarei encontrando imagens e frases e seu nome. E sorrirei porque assim me sinto satisfeita. E a saudade diminui um pouco, mas também aumenta um pouco toda vez que vejo e lembro o homem ao qual sempre admirarei.

Yvone Delpoio

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. Gui permalink
    setembro 10, 2010 3:51 am

    Ahhhh q bonito! Fazia tempo q naum entrava aqui, mas ainda lembrava de como vc escreve bem! Parabens!!!!
    Meio triste esse texto, mas tem um lado bem bonito tb!
    bjão!

  2. setembro 10, 2010 4:49 am

    ahh guii, sempre adoro seus comentários!! muito obrigada mesmo!!
    bjs

  3. setembro 10, 2010 1:53 pm

    Muito bonitas as palavras, tem uma “tristeza” que não é tristeza. Uma superação ao mesmo tempo em que tem melancolia.

    Gostei, muito musical.

  4. Maíra Luna permalink
    setembro 11, 2010 5:29 pm

    Li em primeira mão e me identifiquei, vc sabe.
    É triste, mas também bem bonito.

  5. setembro 24, 2010 12:21 am

    ebaaaa vlw mesmo por gostarem, bom saber!!

    virts, falou tudo! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: