Skip to content

Ghost

setembro 8, 2008


À noite
Cada vez mais fria
Eu tenho andado
Ao lado de fantasmas
Como companhia
Venho fantasiado estórias
Que você não faz parte
De romance e cor
Estou mais perto
De um cemitério escuro
Pessoas vêm e vão
Cruzando esquinas
Nunca alcançam essa linha
Nem mesmo sabem
O caminho
Daqui de dentro
Você fez tão certo
E criou um labirinto
Eles tentam uma chance
Que há tantos obstáculos
Perdem-se e eu perco
Outra vez
A chance
No jogo de xadrez
Não ganha ninguém
Você vôou livre
Eu fingi criar asas
Menti dizendo
Nascer amantes
Apenas
Vultos e sombras
Deslumbrantes
No pensamento
Companheiros fantasmas
Eu coloquei no paraíso
Prazer e orgasmo fingido
Até lá nada era tão bonito
Não chegava
Nem perto da verdade
Até no sonho
Minha mão não alcança
A realidade
Estava mais clara
Que a luz do sol
Que ousa nascer agora
É tão forte que me cega
Ter que recomeçar
Essa brincadeira
Não tem mais graça
Deveria parar de revirar
A chama
Cada vez mais perigosa
Eu aprendo
Com a curiosidade
Mesmo já tendo
Ferido com a brasa
Não há problema
Não há faísca
Naquele fantasma.

Yvone Delpoio

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: