Skip to content

Texto: Saudade – Miguel Falabella

fevereiro 14, 2008

Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói.
Um tapa, um soco, um pontapé doem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade de um filho que estuda fora.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do pai que morreu,
Do amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.
Doem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde.
Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.
Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é basicamente não saber.
Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
Não saber se ela ainda usa aquela saia.
Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu.
Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada;
se ele tem assistido às aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial; se ela aprendeu a estacionar entre dois carros; se ele continua preferindo Malzebier; se ela continua preferindo suco de melancia; se ele continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados; se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor; se ele continua cantando tão bem; se ela continua detestando o MC Donald’s; se ele continua amando;
se ela continua a chorar até nas comédias.
Saudade é não saber mesmo!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos; não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento; não saber como frear as lágrimas diante de uma música;
não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos.
É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer…
Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você, provavelmente, está sentindo
agora depois que acabou de ler.

Anúncios
17 Comentários leave one →
  1. salome permalink
    junho 26, 2008 10:05 pm

    simpkesmente magnifico…
    ate porque ja senti isso…
    mas penso que essa saudade pode ser atenuada com o tempo

  2. julho 10, 2009 5:29 pm

    Eu simplismente: AMO essa mensagem!
    Ela faz parte da minha vida a um certo tempo!!
    Me identifico muito com ela!!!

    Tdo de Bom!!!!!!!!!!

  3. Déh permalink
    julho 24, 2009 3:14 pm

    Não acho que essa saudade pode ser atenuada com o tempo!

    Saudades são lembranças, que sempre vamos sentir…
    Se as lembranças foram boas a saudade não vai embora NUNCA.

    =)

  4. erica.sales@hotmail.com permalink
    agosto 11, 2009 5:24 pm

    AMEI *.*
    Peerfeiito , Realmente foi o que eu sentii quando eu acabeei de ler …

  5. agosto 20, 2009 2:59 am

    um dos textos mais incríveis do planeta!

  6. Nena Lopez permalink
    setembro 4, 2009 5:51 pm

    Lindo texto…
    Já o conhecia, e embora esteja numa fase da minha vida em que me sinto totalmente REALIZADA, é impossível lê-lo e deixar de se emocionar…

    Miguel Falabella definitivamente esteve “inspirado pelos anjos” ao escrevê-lo.

    Esse texto expressa uma sensibilidade incrível.

  7. Daniele permalink
    setembro 8, 2009 2:40 am

    vc é um genio do♥

  8. Pâmela Alves de Freitas permalink
    setembro 22, 2009 4:46 pm

    maravilhoso…..
    sem palavras pra descrever o quanto eh um texto q me emociona

  9. Nádia permalink
    novembro 28, 2009 6:20 pm

    Cada vez que leio essa mensagem me emociono.Quem já viveu a dor dessa saudade viveu um poema de amor

  10. lukeny dias permalink
    maio 19, 2010 2:38 pm

    eu amo esse texto fico arrepiada toda a vez que ouço ou leio…

  11. junho 17, 2010 2:19 am

    LINDO! JA PASSEI POR ISSO TUDO,É RUIM D MAIS ESSA TAL SAUDADES Q DOE

  12. catia permalink
    janeiro 14, 2011 12:01 pm

    saudade………………. é o que eu sinto do meu amor………….

  13. abril 24, 2011 5:05 pm

    vc simplismente expressou tudo o que vc sentiu e isso me tocou muito por que eu estava passando por tudo isso…Qud vc seja muito feliz!

  14. abril 11, 2012 10:42 pm

    SEMPRE CURTI SEU TRABALHO EU SOU FÃ Nº 1 DO SEU SENSO DE HUMOR EM TUDO QUE VOCÊ ATUA,MAS CONFESO QUE PASSEI A GOSTAR MUITO MAIS DOS TEXTOS ESCRITOS POR VC. BEIJOS CARINHOSOS DE SUA FÃ CIDA ( CARNAÍBA/PE)

  15. any permalink
    abril 18, 2012 7:33 pm

    Amei e a saudade realmente machucar.

  16. marisg.11@hotmail.com permalink
    abril 12, 2013 10:18 pm

    Este texto o meu namorido me passou e lhe confesso que nunca mais deixei de lê,é simplesmente belo.obrigado Falabella.

  17. simone farias permalink
    fevereiro 15, 2015 2:45 am

    Esse texto nano é do Miguel, é de Martha Medeiros, uma escritora gaucha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: